Capacidade funcional

22/01/2009 - 12:15 Por:

Categoria(s): Gerontologia

A definição operacional de capacidade funcional está relacionada a medida do grau de preservação da capacidade do indivíduo para realizar atividades de vida diária (AVDs) e do grau de capacidade para desempenhar as atividades instrumentais de vida diária (AIVDs). As AVDs são as que se referem ao autocuidado, ou seja, permitem ao idoso cuidar-se e responder por si só no espaço limitado de seu lar, envolvendo, por exemplo: alimentar-se, ter continência, locomover-se, tomar banho, vestir-se, usar o banheiro, andar nos arredores de casa, subir e descer escadas e cortas as unhas. Já as AIVDs estão relacionadas com funções mais complexas que permitem a vida independente na comunidade, incluindo por exemplo: fazer compras, cozinhar, arrumar a casa, telefonar, usar o transporte, lavar roupa, tomar remédio e ter habilidade para lidar com as próprias finanças. Existem ainda as atividades que podem ser consideradas avançadas de vida diária (AAVDs), como dirigir carro, praticar esporte, andar de bicicleta, cantar, viajar, dançar, entre outras. Essas atividades não são fundamentais para uma vida independente, mas como tendem a ser dependentes de vontade e da motivação, sua presença é indicativa de maior capacidade funcional e melhor saúde física e mental.

Os déficits em capacidades funcionais refletem-se na dependência funcional, a qual, além de poder comportar uma gradação, pode não atingir todos os domínios do funcionamento dos idosos ao mesmo tempo. Por exemplo, dificuldades em locomoção, déficits sensoriais e até mesmo invalidez não implicam necessariamente descontinuidade do funcionamento intelectual e afetivo. Como pessoas de quaisquer idades, os idosos são capazes de ativar mecanismos de compensação e otimização para enfrentar perdas em funcionalidade, lançando mão de recursos tecnológicos, solicitando apoio social e psicológico, ou valendo-se do controle exercido sobre o comportamento de outras pessoas.

Além da dependência nas AVDs e AIVDs, a incapacidade funcional pode levar o idoso a uma dependência mental. Doenças como depressão e demência já estão, em todo o mundo, entre as principais causas de anos vividos com incapacidade, exatamente por conduzirem à perda de independência e, quase necessariamente, à perda de autonomia (Gordilho et al., 2001). Assim, é importante desenvolver, validar e usar indicadores de saúde capazes de identificar idosos de alto risco de perda funcional e orientar ações para a manutenção da funcionalidade, mantendo-os na comunidade pelo maior tempo possível com o máximo de independência e qualidade de vida.

Reprodução parcial do texto escrito por Adriana Correa Aykawa e Anita Liberalesso Neri

Retirado de Neri, Anita L. Palavras-chave em gerontologia. Campinas, SP: Editora Alínea, 2005. pág. 29-32

Indique esse artigo Indique esse artigo

Veja Também:

8 Comentários »

  1. verlayne dá seu palpite,

    novembro 9, 2009 @ 20:52

    olOlá boa noite, sou estudante de fisioterapia da UCSAL e gostaria de receber alguns artigos para serenm utilizadso em meu tcc sobre capacidade funcional .

  2. verlayne dá seu palpite,

    novembro 9, 2009 @ 20:54

    OS artigos sao ótimos e com temas que estao em alta em nossa vivencia com a sociedade brasileira que se destaca pela sua longevidade.LEGAL

  3. Wanda Patrocinio dá seu palpite,

    novembro 12, 2009 @ 15:21

    Boa tarde Verlayne!

    Escrevi no seu email com cópia para uma amiga, a Fernanda, que é fisioterapeuta e tem algum material na área de capacidade funcional, para que ela possa te auxiliar.

    Abraço,
    Wanda.

  4. Wanda Patrocinio dá seu palpite,

    novembro 12, 2009 @ 15:23

    Obrigada Verlayne!

    Abraço,
    Wanda.

  5. Monique Carla da Silva dá seu palpite,

    julho 30, 2010 @ 8:44

    Quem treina AVD e AIVD é o terapeuta ocupacional e nunca o fisioterapeuta!
    Está claramente descrito nos procedimentos do nosso conselho federal.

  6. Wanda Patrocinio dá seu palpite,

    agosto 2, 2010 @ 19:57

    Boa noite Monique!

    Obrigada pelo seu comentário!
    O texto apresenta a definição de capacidade funcional, não entrando no mérito de quem é o responsável por treinar estas atividades.

    Abraço,
    Wanda.

  7. leticia dá seu palpite,

    outubro 19, 2011 @ 18:24

    gostei….

  8. Wanda Patrocinio dá seu palpite,

    janeiro 10, 2012 @ 16:12

    Obrigada Letícia!

RSS Feed for comments on this post · TrackBack URI

Por favor, Deixe um comentário aqui !