Amor Feinho (Adélia Prado)

31/08/2015 - 10:55 Por:

Categoria(s): Arte, Poesia, Sem categoria

Amor Feinho

coracoes

Eu quero amor feinho.
Amor feinho não olha um pro outro.
Uma vez encontrado é igual fé,
não teologa mais.
Duro de forte o amor feinho é magro, doido por sexo
e filhos tem os quantos haja.
Tudo que não fala, faz.
Planta beijo de três cores ao redor da casa
e saudade roxa e branca,
da comum e da dobrada.
Amor feinho é bom porque não fica velho.
Cuida do essencial; o que brilha nos olhos é o que é:
eu sou homem você é mulher.
Amor feinho não tem ilusão,
o que ele tem é esperança:
eu quero um amor feinho.

(Adélia Prado)

Texto extraído do livro “Bagagem”. Rio de Janeiro. Editora Record, 2011.

 

Conheça o Facebook da GeroVida em https://www.facebook.com/GeroVida
Curta, compartilhe, comente!

Indique esse artigo Indique esse artigo

Tags: , , ,

Veja Também:

Por favor, Deixe um comentário aqui !