Altera√ß√Ķes neurol√≥gicas fisiol√≥gicas ao envelhecimento afetam o sistema mantenedor do equil√≠brio

21/09/2017 - 14:07 Por:

Categoria(s): Qualidade de Vida, Reflex√£o

Altera√ß√Ķes neurol√≥gicas fisiol√≥gicas ao envelhecimento afetam o sistema mantenedor do equil√≠brio

A popula√ß√£o idosa no Brasil est√° cada vez maior e a expectativa de vida tende a apresentar valores crescentes1 (Figura 1). No entanto, ao contr√°rio do que se pensa, isso n√£o significa um incremento proporcional nos √≠ndices da qualidade de vida dos sujeitos. Esta aparente ambiguidade pode ser explicada pela influ√™ncia gerada a partir das altera√ß√Ķes fisiol√≥gicas ao envelhecimento e a incapacidade do Estado em fornecer maiores cuidados e aten√ß√£o, tanto no que concerne os n√≠veis f√≠sicos quanto os ps√≠quicos. Quando associado a dist√ļrbios motores, como for√ßa e equil√≠brio, tais altera√ß√Ķes muitas vezes s√£o incapacitantes, e apresentam um maior risco de morbi-mortalidade3. As altera√ß√Ķes causadas pelo envelhecimento est√£o relacionadas aos aspectos funcionais e ps√≠quicos do corpo humano. No primeiro caso, envolvem inputs sensoriais e rea√ß√Ķes (autom√°ticas, reflexas e volunt√°rias) motoras; no segundo, as altera√ß√Ķes envolvem as diversas fun√ß√Ķes cognitivas, mas n√£o impedem o indiv√≠duo de realizar as atividades cotidianas b√°sicas e instrumentais. Com objetivo de se quantificar as altera√ß√Ķes inerentes ao envelhecimento, bem como triar os casos de ‚Äúenvelhecimento saud√°vel‚ÄĚ em rela√ß√£o aos poss√≠veis casos patol√≥gicos, foram criados testes, avalia√ß√Ķes e instrumentos espec√≠ficos. Apesar da possibilidade de se constar altera√ß√Ķes em ambos os casos, as modifica√ß√Ķes n√£o se correlacionam na mesma magnitude quando comparado o idoso saud√°vel √†quele submetido a doen√ßas. Nos casos de altera√ß√Ķes patol√≥gicas em primeira inst√Ęncia ‚Äď ou seja, sem perdas funcionais importantes ‚Äď o quadro cl√≠nico muitas vezes √© potencializado pela intera√ß√£o entre os d√©ficits fisiol√≥gicos do envelhecimento e os causados por dist√ļrbios intercorrentes. Uma das caracter√≠sticas marcantes no processo de envelhecimento √© o decl√≠nio da capacidade funcional. For√ßa, equil√≠brio, flexibilidade, agilidade e coordena√ß√£o motora constituem vari√°veis afetadas diretamente por altera√ß√Ķes neurol√≥gicas e musculares. O comprometimento no desempenho neuromuscular, evidenciado por paresia, incoordena√ß√£o motora, lentid√£o e fadiga muscular, constitui um aspecto marcante neste processo. O desbalan√ßo entre a forma√ß√£o e a reabsor√ß√£o √≥ssea, que propicia o aparecimento de osteopenia e osteoporose, potencializa o risco de incapacidade na popula√ß√£o idosa7. Ainda em rela√ß√£o ao d√©ficit do sistema musculoesquel√©tico, podem-se notar efeitos delet√©rios significantes e associativos sobre a efici√™ncia em outros sistemas, como o respirat√≥rio, o sensorial e o vestibular. Tais modifica√ß√Ķes prejudicam a performance do sujeito, mesmo nas tarefas b√°sicas ‚Äď atividades de vida di√°ria b√°sicas, como nas complexas ‚Äď atividades de vida di√°ria instrumentais8. Particularmente em rela√ß√£o ao sistema vestibular, sua altera√ß√£o pode propiciar depend√™ncia funcional e exclus√£o social. Diante do anteriormente exposto, este trabalho teve como objetivo realizar uma revis√£o da literatura sobre as altera√ß√Ķes neurol√≥gicas do envelhecimento, especificamente no que se refere ao sistema mantenedor do equil√≠brio humano.

Fonte: http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2010/RN1801/331%20revisao.pdf

Conheça o Facebook da GeroVida em https://www.facebook.com/GeroVida

Curta, compartilhe, comente!

 

Indique esse artigo Indique esse artigo

Tags: , ,

Veja Também:

Por favor, Deixe um comentário aqui !