Arquivo de Doenças e problemas de saúde

Meditação ajuda a combater insônia

12/04/2011 - 18:35 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida

Da Efe, em Madri
A meditação pode ser uma forma eficaz de tratamento contra a insônia, segundo pesquisa apresentada no 23º congresso anual da Associação Profissional de Sociedades do Sono, nos Estados Unidos.
Os pacientes que meditam sentem melhoras na qualidade subjetiva do sono e em sua duração total, no tempo de adormecer, da vigília e no acordar.
O diretor do programa sobre a insônia do Memorial Hospital de Evanston, Ramadevi Gourineni, disse que este transtorno é causado por 24 horas diárias de “hiperatividade”, com altos níveis de tensão durante certos momentos.
No congresso foi apresentado um estudo que analisa os dados de 11 pacientes, de 25 a 45 anos, com problemas de insônia primária crônica. Durante dois meses, eles foram divididos em dois grupos: um participou de Kriya Ioga (uma forma de meditação) e de aulas sobre saúde. O outro recebeu informações sobre como melhorar a saúde com o uso de exercícios, nutrição, perda de peso e gerenciamento do estresse, mas não fez meditação.
Depois do período do estudo, o grupo que fez meditação registrou melhoras na qualidade do sono, o tempo necessário para dormir e o tempo total de sono.
Gourineni afirmou que os resultados do estudo provam que “ensinar técnicas de relaxamento profundo durante as horas do dia pode ajudar a melhorar o sono à noite”.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u579310.shtml


Veja Também:

Comments (1)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Estudo liga meditação a menor risco de ataque em cardiopata

11/04/2011 - 19:36 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida

Por Gabriela Cupani?da Folha de S. Paulo
Praticar meditação pode ajudar a reduzir quase pela metade o risco de sofrer um ataque cardíaco ou um AVC (acidente vascular cerebral) em pacientes com doença cardiovascular. Esse é o resultado de um estudo apresentado no congresso da American Heart Association, realizado em Orlando. Segundo os autores da pesquisa, feita no Medical College of Wisconsin e patrocinada pelo instituto americano de saúde, trata-se do primeiro estudo controlado que constatou os benefícios a longo prazo da técnica sobre eventos no coração.
Os pesquisadores acompanharam 201 pacientes, com idade média de 59 anos, durante cinco anos. Todos tinham aterosclerose (depósito de gordura nas paredes das artérias).
Eles foram separados em dois grupos. Um foi submetido a um programa de meditação transcendental, praticado duas vezes por dia durante 15 ou 20 minutos. O outro foi considerado o grupo controle. Todos continuaram recebendo os remédios que já tomavam. Ao final do período, no grupo que praticou meditação houve 20 eventos, como ataques cardíacos, derrames e mortes. Entre os demais, foram 32. Os que meditaram também tiveram uma redução da pressão arterial de cinco milímetros de mercúrio (a medida usada para pressão), em média.
“A meditação tem um efeito antiestresse, com queda nos níveis de cortisol e adrenalina”, explica o psicólogo José Roberto Leite, chefe do núcleo de medicina comportamental da Universidade Federal de São Paulo. Sabe-se que os hormônios relacionados ao estresse (como o cortisol e a adrenalina) interferem no metabolismo e aumentam a frequência cardíaca, a pressão arterial e os níveis de gorduras -o que tem um impacto direto na saúde cardiovascular. A longo prazo, os efeitos do estresse também abalam o sistema imunológico.
“É um trabalho científico sério que corrobora o que já se observava na prática”, diz o cardiologista Carlos Alberto Pastore, do InCor (Instituto do Coração). Segundo ele, qualquer atividade que alivie o estresse reduz também o risco cardíaco.
“A pessoa que medita consegue enfrentar melhor o estresse”, diz Norvan Leite, médico especialista em medicina chinesa e responsável pela implantação da primeira sala de meditação em um hospital público e pelo serviço de acupuntura no Hospital do Servidor Público Municipal, em São Paulo. “A prática altera o organismo como um todo”, observa.
Depressão
Outro estudo sobre o assunto, publicado no periódico científico “American Journal of Hypertension”, demonstrou que a meditação também é eficaz para reduzir a pressão arterial, a ansiedade e a depressão. A pesquisa, feita na American University, em Washington, acompanhou por três meses 298 estudantes universitários, divididos em dois grupos. “A meditação promove mudanças neuroquímicas significativas com a liberação de endorfinas”, completa José Roberto Leite, da Unifesp. Segundo o psicólogo, após um mês de prática regular é possível observar alguns benefícios. “Mas deve-se encarar a meditação como a alimentação ou a atividade física e incorporá-la à rotina”, afirma.
Artigo publicado em:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u656756.shtml


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Queda e Convulsão no idoso

22/03/2011 - 16:50 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Gerontologia

As quedas são os acidentes que mais ocorrem com as pessoas idosas e fragilizadas por doenças, ocasionando fraturas principalmente no fêmur, costela, coluna, bacia e braço.
Após uma queda é importante que a equipe de saúde avalie a pessoa e identifique a causa, buscando no ambiente os fatores que contribuíram para o acidente. Assim, podem ajudar a família a adotar medidas de prevenção e a tornar o ambiente mais seguro.
Ao atender a pessoa que caiu, observe se existe alguma deformidade, dor intensa ou incapacidade de movimentação, que sugere fratura. No caso de suspeita de fratura, caso haja deformidade, não tente “colocar no lugar”, procure não movimentar a pessoa cuidada e chame o serviço de emergência o mais rápido possível.

A convulsão ou ataque epilético é o resultado do descontrole das ondas elétricas cerebrais e pode acontecer por diversas causas. Não é doença contagiosa, portanto ninguém se contamina ao atender e tocar a pessoa durante a convulsão. Na crise convulsiva a pessoa pode cair, perder a consciência, movimentar braços e pernas contra sua vontade e de maneira desordenada, urinar e defecar involuntariamente.
Ao atender a pessoa durante a crise convulsiva, apoie a cabeça da pessoa e gire para o lado, para evitar que a saliva seja aspirada e vá para os pulmões. Proteja a pessoa para ela não se machucar, afastando móveis e objetos.
Ao terminar a crise a pessoa acorda confusa, desorientada, sentindo dores no corpo e sem saber o que aconteceu. Tranquilize a pessoa e procure ajuda da equipe de saúde.
Fonte: Guia do Cuidador. Ministério da Saúde. Brasília, DF, 2008


Veja Também:

Comments (2)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Verão é estímulo extra para combater a osteoporose

21/03/2011 - 11:56 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
A partir da menopausa e em toda a duração do climatério, a osteoporose é uma das doenças que mais ocorrem entre as mulheres. Entre os fatores que contribuem para sua evolução é a falta de atividade física. Nela, o acúmulo de tecido ósseo, que atinge seu pico por volta dos 30 anos de idade, começa a decair com o passar do tempo, tornando os ossos mais frágeis e quebradiços e tornando mais graves as consequências das quedas, que aumentam com a idade.
De acordo com o médico Carlos Isaia Filho, especialista em saúde da mulher, a osteoporose não tem cura. Apesar de medidas como a ingestão de cálcio, o uso de hormônios e de remédios a base de bisfosfonatos e outros, o ideal é investir em prevenção. Um estudo da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) revela que os brasileiros ingerem quase três vezes menos cálcio do que o necessário. Além disso, 47% dos entrevistados se declararam completamente sedentários.
Segundo Isaia, a fim de combater fatores de risco como sedentarismo, dieta alimentar pobre em cálcio e pouca exposição ao sol, o verão acaba servindo de estímulo para que a mulher mude seus hábitos. “Os raios solares são nossa principal fonte de vitamina D, que age diretamente sobre a estrutura óssea. Os exercícios que muita gente reluta em fazer no inverno, são retomados com o calor e isso pode servir de incentivo para sua continuidade durante todo o ano”, aponta.
Fonte: Portal Nacional de Seguros&Sa̼de РNoticias/Online
* Educadora física, colaboradora semanal com artigos na área, parceira da GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Engenheiro de Segurança no Trabalho sugere descansos, alongamentos e muita água durante o dia de trabalho

15/03/2011 - 12:25 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde

Desde o ano 2000, o último dia do mês de fevereiro é considerado o Dia Internacional de Combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Ósteo Musculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Tais siglas abrigam doenças como a Tendinite, a Bursite, a Síndrome do Túnel do Carpo, a Síndrome do Corpo Doloroso entre outras diversas doenças que afastam milhares de trabalhadores de seus postos de trabalho todo ano.
Segundo dados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), a LER é responsável pela segunda causa de afastamento dos trabalhadores de seus postos de trabalho. Em sua maioria, jovens e mulheres apresentam os maiores índices da doença. Bancários, operadores de linha de montagem, operadores de telemarketing, secretárias e jornalistas encabeçam as estatísticas de aquisição destas doenças.
De acordo com o Instituto Nacional de Prevenção às LER/Dort, a única saída para evitar essa síndrome é investir na educação e na conscientização tanto dos funcionários, como dos empresários. Investir em uma boa qualidade de vida e em um dia a dia mais saudável e menos desgastante são fatores que favorecem a redução dos riscos de se adquirir a LER. Em contrapartida, muitos empresários acreditam que apenas o investimento em ergonomia e na troca dos móveis resolverá o problema, o que não é verdade. Esta medida é necessária, mas não suficiente. Para evitar tais doenças, trabalhar em um ambiente bem iluminado, com momentos de descanso, ter um bom relacionamento com as outras pessoas e alternar as atividades realizadas podem ajudar na redução do estresse e evitar a aquisição de doenças ocasionadas por LER.
Os sintomas são muitos, o que importa é estar atento às dores. Diminuição da força muscular, formigamento, sensação de peso nos membros e perda de controle de movimentos podem ser sintomas de doenças ocasionadas por esforço repetitivo.
Pensando em uma melhor qualidade de vida, o Engenheiro de Segurança no Trabalho, Osny Telles Orselli, desenvolveu uma técnica que chamou de ginástica, mais especificamente como “Ginástica do Gato” e tem como objetivo estimular as pessoas a fazerem pequenos alongamentos e reduzir o estresse enquanto trabalham.
Segundo Osny, o sucesso da “ginástica” está em fazer os mesmos movimentos de um gato. “Ele se espreguiça, alonga e boceja em intervalos regulares. Assim, a cada hora é interessante que o funcionário se levante e estique os braços, os dedos e beba pelo menos um copo d’ água”, afirma.
Além disso, de acordo com o engenheiro, a “Ginástica do Gato” não irá atrapalhar as atividades no trabalho e ainda ajudará a reduzir os altos índices de LER. “Você vai aumentar sua produtividade e melhorará sua qualidade de vida” – finaliza Osny.
Fonte: Revista Personalité
[http://www.revistapersonalite.com.br/]


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Icterícia

14/03/2011 - 18:31 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Terapias Complementares

É uma doença do fígado, motivada pela bile no sangue.
Causas:
– “É o anormal funcionamento do fígado em consequência de más digestões e medicamentos químicos. Isto pode produzir catarro na mucosa do canal biliar, que obstrui (impede) a passagem de bile, a qual volta ao fígado e se mistura com sangue produzindo a chamada icterícia”, M. Lezaeta Acharan;
– câncer no fígado ou no pâncreas.
Sintomas:
– a pele e parte branca do glóbulo ocular ficam amarelas, bem como a urina;
– há vômitos;
Рdes̢nimo e fraqueza;
Рpriṣo de ventre;
– as fezes ficam sem cor, pois falta a bile que dá a coloração.
Tratamento:
– aplicar argila com o chá de cipó-mil-homens sobre o fígado por 3 horas ou mais;
– normalizar o processo digestivo, seguindo dieta rigorosa de frutas cruas e saladas sem sal;
– ao acordar e ao deitar beber um copo de água com linhaça, macerada (deixada na água) desde o dia anterior, para favorecer as evacuações;
– ao acordar friccionar diariamente todo o corpo com água fria, e à noite dormir com faixa derivativa sobre o ventre e rins ou enfaixamento de barro sobre essa região;
– aplicar ducha de água fria ou banhos genitais, 2 ou 3 de 20 minutos cada;
– chá de raiz de picão é ótima 2 vezes por dia.
Do livro “Existem doenças incuráveis?”, de Jaime Brüning, 2003, p. 222.

Caro leitor, nosso blog se preocupa com a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Desenvolvemos um trabalho na área de terapias complementares, porém gostaríamos de salientar que qualquer tratamento aqui sugerido não dispensa uma orientação médica ou qualquer orientação na área que você esteja precisando. Isto significa que os tratamentos com argila terapêutica e outros devem complementar o tratamento já realizado, mantendo sempre o acompanhamento médico. Além disto, sugerimos que aquelas pessoas que já estão em tratamento e que resolvam usar algum tratamento complementar, que comuniquem o profissional que acompanha seu caso.
Atenciosamente,
Equipe GeroVida.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Alergias de verão: saiba como preveni-las e tratá-las

14/03/2011 - 14:11 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
A estação mais esperada do ano. O sol, o calor, a diversão e toda a liberdade que os meses de verão podem trazer vêm junto com as expectativas mais calorosas para passar um verão incrível, ou ao menos parte dele. O tempo, apesar de favorável à diversão, pode não ser tão recomendado para a saúde. A temperatura instável e a inversão térmica são alguns dos fatores que fazem este período não ser dos melhores para a saúde. Também são de praxe, de dezembro a março, as festas de fim de ano e comemorações diversas, onde os excessos podem causar muitos danos à saúde. Aquela dor de cabeça, nariz coçando, olhos lacrimejando ou ainda a voz rouca e falha são sinais importantes, e procurar um otorrinolaringologista é o melhor a se fazer, pois estes sintomas, ao contrário do que se ouve por aí, não são “normais para a estação”.
De acordo com o otorrinolaringologista Silvio Bettega, da ABR (Academia Brasileira de Rinologia), as regiões com clima temperado são as mais maléficas para a saúde. “O clima seco e a maior concentração de poluentes favorecem o aparecimento das alergias, principalmente a rinite alérgica”, diz Bettega. A rinite alérgica, apesar de assemelhar-se à gripe em seus sintomas, tem mecanismos e causas diferentes. Ao contrário da gripe, causada por vírus, a rinite alérgica é causada por uma inflamação no revestimento interno do nariz, e os sintomas aparecem quando o paciente entra em contato com o alérgeno. Outro sério problema da estação são os exageros com bebidas geladas, que podem prejudicar seriamente a garganta. “Devemos evitar gelado. A rouquidão, um dos sintomas mais importantes para detectar problemas de laringe, deve ser considerada, pois é como se fosse um “alarme” de nosso corpo, pedindo para procurarmos ajuda médica”, alerta o também otorrinolaringologista Jeferson Sampaio D´Ávila, presidente da ABLV (Academia Brasileira de Laringologia e Voz). Como forma de alertar sobre esses males, os médicos da ABR e ABLV elaboraram uma lista de cuidados básicos para curtir as festas com saúde e segurança. Confira:
– Cuidado com a gritaria: acompanhando as festividades, tendemos a nos render à gritaria. Portanto, falar em tons médios e tentar não forçar muito a voz durante as festas é uma dica importante para manter a saúde da garganta;
– Evite o cigarro: principalmente em lugares fechados. A fumaça produzida pelo cigarro contém uma infinidade de substâncias que causam extremo mal à laringe e à voz;
– Hidrate-se: Para manter nossa respiração saudável, é ideal ingerir bastante líquido. O recomendado é 2 litros de água por dia, mas sucos e vitaminas podem complementar essa hidratação;
РṆo exagere nos gelados: Sorvetes e sobremesas ṣo os alvos favoritos de nossos olhos gulosos durante o veṛo. Mas cuidado. O exagero pode provocar dores de garganta, o que com certeza compromete a festa;
РCobertores e edredons lavados: Aproveite os dias mais quentes para lavar cobertores e guardar os que ṇo for utilizar durante a esta̤̣o do calor;
– Tapetes longe do caminho: Carpetes e tapetes são reservatórios permanentes de ácaros. Lave-os e deixe-os longe de uso durante a estação;
– Ambientes mais úmidos: Quando o ar estiver “seco”, deixe o ambiente mais úmido utilizando umidificadores de ambiente ou espalhe bacias com água em todos os dormitórios da casa, durante a noite; isto garante um sono melhor, porque melhora a respiração;
Os médicos da ABR e da ABLV ainda alertam: todas as orientações acima podem e devem ser seguidas, mas ao verificar qualquer sintoma, recomenda-se a consulta ao seu médico otorrinolaringologista de confiança. Só ele, através de um exame, saberá exatamente o que lhe dizer sobre a sua alteração respiratória e/ou vocal.
Sobre a ABR
Preocupados com a saúde respiratória da população, os médicos da Academia Brasileira de Rinologia lançaram oficialmente no início de junho deste ano a campanha “Respire Pelo Nariz e Viva Melhor”, com o objetivo de orientar e alertar a população sobre as vantagens de se respirar bem pelo nariz e os perigos que a respiração incorreta pode causar à saúde, além de esclarecer as principais dúvidas sobre os cuidados com a respiração nasal. A campanha disponibiliza também um site onde estão descritas as ações de toda a campanha, dicas para cuidar bem da respiração e palestras informativas com os especialistas. Entre os assuntos tratados nas palestras e dicas estão gripe, resfriado, rinite e sinusite, ronco e apneia do sono, alterações do olfato e doenças que causam a obstrução nasal e dificultam a respiração correta. A ABR também lançou com exclusividade a TV Respire Pelo Nariz, um canal onde é possível assistir a uma palestra com orientações do Dr. Renato Roithmann, presidente da ABR, quanto à respiração saudável.
Fonte: Quaero Brasil
* Educadora física, colaboradora semanal com artigos na área, parceira da GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Histeria

5/03/2011 - 10:05 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Terapias Complementares

É doença de origem nervosa mais comum em mulheres. É uma neurose também chamada de loucura.
Causas:
– incômodos, angústias, desgostos, opressão, traumas, enfim é transformação de problemas psíquicos em problemas corporais. A doença é uma válvula de escape para estas pessoas;
Рpancadas, quedas podem tamb̩m causar histeria;
– vírus e germes no cérebro que ocasionam perturbação mental;
– falta de iodo na tireoide.
Tratamento:
– aplicar argila com o chá de cipó-mil-homens na cabeça toda por 15 a 20 dias seguidos, deixando por 3 horas ou mais cada vez;
– aplicar principalmente atrás da cabeça para pegar o hipotálamo e na testa para tratar a hipófise;
Рcombater a priṣo de ventre;
– alimentar-se com alimentos crus de frutas e verduras predominantemente;
– evite chocolates, café e bebida alcoólica;
– mantenha contato com a natureza e pratique exercícios ao ar livre;
– tome levedo de cerveja.
Do livro “Existem doenças incuráveis?”, de Jaime Brüning, 2003, p. 221-222.

Caro leitor, nosso blog se preocupa com a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Desenvolvemos um trabalho na área de terapias complementares, porém gostaríamos de salientar que qualquer tratamento aqui sugerido não dispensa uma orientação médica ou qualquer orientação na área que você esteja precisando. Isto significa que os tratamentos com argila terapêutica e outros devem complementar o tratamento já realizado, mantendo sempre o acompanhamento médico. Além disto, sugerimos que aquelas pessoas que já estão em tratamento e que resolvam usar algum tratamento complementar, que comuniquem o profissional que acompanha seu caso.
Atenciosamente,
Equipe GeroVida.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Eczema ou desidrose

3/03/2011 - 17:28 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Terapias Complementares

Doença inflamatória, não contagiosa, que se manifesta na superfície ou profundamente com formação de bolhas. Quanto às partes avermelhadas e pruridas, com descamação e fissuras, a causa exata é desconhecida, porém as reações cutâneas podem estar relacionadas a alergias a mofo, alimentos, substâncias químicas dos detergentes, sabões cosméticos, picadas de insetos, reações a plantas a exemplo do chorão, toxidendro, sabugueiro etc. Além de doenças como nefrite e diabetes.
É comum manifestar-se nas plantas dos pés, áreas interdigitais. O termo bolha é reservado para descrever os casos de vesículas pruriginosas de localização profunda. O estresse pode representar algum papel, já que a desidrose ocorre com maior frequência em pessoas ansiosas, e a sudorese excessiva pode aumentar o prurido e a sensação de queimaduras.
Um dermatologista poderá indicar um tratamento adequado. A evolução esperada é benigna, não ficando cicatriz.
Vitamina, chá e polpa de Abacate.
Externo: Aplicar polpa da fruta diretamente na parte afetada.
Interno: Tomar vitamina de abacate – ¼ em 1 copo de leite. O caroço recém-tirado da fruta pode ser ralado. Fazer um chá por decocção com 300ml de água. Ferver por 5 minutos e tomar em seguida.
Principais elementos terapêuticos
Abacate (Persea gratíssima): contém ácido elárgico e é antiinflamatório.
Retirado do livro “100 sucos com poderes medicinais”, de Lelingron Lobo Franco. São Paulo: Elevação, 2005. pag 129.


Veja Também:

Comments (2)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Hidrofobia = Raiva

24/02/2011 - 11:28 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Terapias Complementares

É uma doença perigosa, capaz de fazer a pessoa enlouquecer quando é mordida por um cão ou outro animal louco, acometido do vírus da raiva. Os morcegos são portadores desse vírus também.

Sintomas:

– ardor na garganta e dificuldade de engolir;

– a pessoa fica perigosa, muito enfurecida, tem espasmos de convulsão e medo de água, daí vem o nome da doença: hidro = água, fobia = medo;

Рa doen̤a costuma se manifestar depois de um m̻s que a pessoa foi mordida;

– forma-se saliva grossa e pegajosa.

Sinais de raiva no animal:

– o animal comporta-se de maneira diferente, ora triste ou irritado;

Рfica com a boca cheia de espuma e ṇo consegue beber nem comer;

Рaperta a cauda por entre as patas e geralmente anda de cabe̤a baixa;

– agride e morde qualquer pessoa, animal ou coisa estranha;

– dentro do espaço de uma semana e meia o animal morre, por isso é bom prendê-lo e observá-lo.

Tratamento:

Рlimpar o intestino e manter em ordem a digesṭo;

– no local da mordida colocar já argila com o chá de cipó-mil-homens ou compressa com suco de limão, ou compressa com cebola ralada (ou socada). Isto puxa o veneno e evita de ir para o sangue onde poderá fermentar perigosamente;

– fazer a pessoa suar com saunas ou banho de vapor para limpar o sangue;

– combater a febre.

Do livro “Existem doenças incuráveis?”, de Jaime Brüning, 2003, p. 220 221.

Caro leitor, nosso blog se preocupa com a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Desenvolvemos um trabalho na área de terapias complementares, porém gostaríamos de salientar que qualquer tratamento aqui sugerido não dispensa uma orientação médica ou qualquer orientação na área que você esteja precisando. Isto significa que os tratamentos com argila terapêutica e outros devem complementar o tratamento já realizado, mantendo sempre o acompanhamento médico. Além disto, sugerimos que aquelas pessoas que já estão em tratamento e que resolvam usar algum tratamento complementar, que comuniquem o profissional que acompanha seu caso.

Atenciosamente,
Equipe GeroVida.


Veja Também:

Comments (4)     Indique esse artigo Indique esse artigo