Arquivo de Qualidade de Vida

O ar que respiramos

22/12/2011 - 19:20 Por:

Categoria(s): Qualidade de Vida

arA saúde e a doença não ocorrem por acaso, depende do lugar onde você vive, de como você cuida do seu corpo, do seu hábito de vida e talvez o mais importante: do ar de que você respira. O homem respira cerca de 8 litros de ar por minuto quando em repouso e morre se ficar aproximadamente 5 minutos sem respirar (Secr. do Meio Ambiente do Estado de São Paulo). A autora Ellen White em seu livro Mensagens Escolhida na pág. 452 do Vol.2 diz sobre o ar que respiramos: “O ar puro se demonstra mais benéfico ao doente do que os remédios, sendo muito mais necessário do que o alimento.” O ar puro é essencial para a saúde, mais do que remédios e alimentos. É a respiração que nos dá vida, precisamos de ar puro, renovado continuamente. O ar puro proporciona o oxigênio ideal seja transportado a todo o organismo, especialmente para o sistema nervoso. O cérebro e os demais órgãos são beneficiados pela boa oxigenação do organismo. Essa oxigenação atua nas funções intelectuais como a memória e os sentidos deixando-os mais aguçados.
Muitas das doenças e a fragilidade do corpo são devido ao ambiente sem uma boa ventilação e sem ar puro. O ar nestes casos não tem a propriedade de revitalizar e oxigenar todas as células do nosso corpo. Infelizmente quem reside em grandes metrópoles sofrem mais com a má qualidade do ar, “a poluição pode diminuir em até um ano e meio a expectativa de vida de quem mora em cidade, é apontada como causa de vinte mortes diárias na região metropolitana e, segundo estimativas, provoca um rombo anual de 1,5 bilhões de dólares com despesas em saúde e redução da produtividade no trabalho” (Revista Veja São Paulo 27/07/2011). É também a principal causa de alergias e doenças como asma, bronquite, otite, amigdalite, gripes e resfriados e até pneumonia, sendo responsável pelo agravamento dos quadros de rinite e sinusite, inclusive colaborando em processos inflamatórios podendo resultar em infarto e derrame. Estudos comprovam que ácaros e fungos são a causa de doenças alérgicas em mais de 30% das crianças que nascem nas grandes cidades além de atacar os adultos e principalmente os idosos que sofrem de alguma doença respiratória. Nas florestas encontramos aproximadamente 4200 íons positivos e 4200 íons negativos por cm³, quantidades suficientes para eliminar bactérias e vírus. Nas grandes cidades estas quantidades de íons podem se reduzir para próximo de 3%, contribuindo para que os fungos, mofo, bactérias, vírus e ácaros permaneçam livres e fortes no ar e atacar o organismo humano gerando as crises respiratórias de natureza alérgica.
Janelas fechadas, assoalhos acarpetados, poluição, polens de flores, salas úmidas, mal ventiladas e mal iluminadas e ainda no inverno com a baixa umidade do ar contribuem para piorar o ar que respiramos, facilitando a proliferação dos vírus e ácaros. Para combater e prevenir esse mal da grande cidade está sendo lançado no Brasil um produto totalmente inovador neste quesito. É o Purificador de Ar, Modelo FP-P30U com tecnologia Plasmacluster, patenteada pela Sharp Corporation do Japão, que a empresa Qar está trazendo ao mercado nacional. Este purificador já vendeu mais de 30 milhões de unidades pelo mundo todo e ainda não se encontrava no mercado brasileiro. Por conseguir vender esta quantidade, fica claro que este purificador tem um diferencial que é a sua eficácia. É o único do mundo que emite íons positivos e negativos ao mesmo tempo, atacando diretamente os vírus que se encontram no ar, no chão e nas paredes do meio ambiente em que vivemos com capacidade de eliminar mais de 99,97% dos vírus. “O Plasmacluster, invenção da Sharp japonesa, foi lançado em 2000 para ser usado em ambientes como hospitais e laboratórios de alimentos, mas verificou-se que seria útil também nos carros. O Plasmacluster consiste em um gerador de voltagem que produz artificialmente íons positivos e negativos a partir das moléculas de água (H2O) do ar. Os átomos de hidrogênio (H+) e as moléculas de oxigênio (O2-), eletricamente instáveis, reagem com as partículas em suspensão no ambiente destruindo-as. “No caso das bactérias, por exemplo, isso ocorre a partir da quebra das proteínas da membrana da célula”, afirma o professor John S. Oxford, da Universidade de Londres. Os íons existem em equilíbrio na natureza e têm justamente essa função de defesa do ambiente. O que a Sharp fez foi apenas reproduzir o mecanismo que a natureza desenvolveu para combater a poluição” (Quatro Rodas – Ago/2006).
Além disso, possui um filtro de carvão ativado que elimina o cheiro e o verdadeiro filtro HEPA que retém 99,97% das partículas acima de 0,3 microns (este filtro HEPA é utilizado em centros cirúrgicas). Nos sites públicos como o Youtube (http://www.youtube.com/results?search_query=plasmacluster&aq=f), pode-se encontrar vários vídeos e informações sobre este produto em várias línguas, além de testes e depoimentos dos usuários, que comprovam a sua eficácia e seus benefícios. No site oficial da Sharp (http://www.sharp-pci.com/en/n/?) pode ser comprovado a aprovação dos testes deste produto por institutos de pesquisas independentes de vários países, além de depoimentos dos usuários e aplicações do purificador em diferentes setores.

Tony
tony@qarbr.com.br


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Óleo de pequi protege contra doenças cardiovasculares

21/12/2011 - 17:02 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*

Depois de 10 anos pesquisando as propriedades do pequi, fruto típico do cerrado, o biólogo Cesar Koppe Grisolia, da Universidade de Brasília (UnB), desenvolveu um produto com efeitos fitoterápicos, que ajuda a evitar a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos, diminuindo assim o risco de problemas cardíacos.
Em forma de cápsulas, ele deverá chegar ao mercado no ano que vem.
Os resultados da pesquisa foram apresentados durante a 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Goiânia (GO).

Nutracêuticos
Tecnicamente o novo produto é enquadrado na categoria dos nutracêuticos, um composto que se situa entre um alimento e um remédio.
Teoricamente, eles nutrem e trazem saúde.
“É um produto que incrementa as funções fisiológicas, revigorante e que vai além de um alimento”, explica Grisolia. “O que desenvolvemos tem tanto propriedades nutracêuticas como fitoterápicas, mas vamos registrar na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) apenas na primeira categoria, porque o processo é mais simples e barato”.
O pequizeiro (Caryocar brasiliense) é uma árvore típica do cerrado e está ameaçada de extinção. Seu fruto tem sabor peculiar e nem sempre é apreciado por todos.
Mas é altamente nutritivo, rico em vitaminas e sais minerais e compostos antioxidantes, que capturam radicais livres, moléculas nocivas formadas nos organismos.
“Para que as pessoas possam fazer uso de suas propriedades, desenvolvendo cápsulas de extrato da polpa e outras de óleo de pequi”, conta Grisolia.

Exploração sustentável
O novo produto, que rendeu mais de 10 artigos científicos sobre o assunto, também serviu para destacar a importância da preservação do cerrado, bioma que está tão ameaçado quanto a Amazônia.
Segundo Grisólia, ele criou um modelo de exploração sustentável, com geração de mão-de-obra e renda para as comunidades rurais da região. “Meu trabalho mostra que o cerrado preservado é economicamente importante”, diz. “Para quem acha que pesquisa só é importante quando se consegue um ganho econômico, fizemos isso. Mas para outros, manter a biodiversidade é uma questão de respeito às outras formas de vida.”

Fonte: Diário da Saúde

* Educadora física, colabora com artigos na área para o blog GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Dieta rica em cálcio previne menopausa em mulheres depois dos 50

24/10/2011 - 11:29 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Gerontologia, Qualidade de Vida

Pelo menos dez milhões de brasileiros sofrem de osteoporose, a perda gradual de massa óssea a partir da meia idade e que atinge principalmente as mulheres depois da menopausa. Segundo a Fundação Internacional de Osteoporose, uma em cada três mulheres acima de 50 anos tem a doença. E de cada três pessoas que sofreram fratura no quadril, uma tem osteoporose. No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a cada ano ocorrem cerca de 2,4 milhões de fraturas decorrentes da osteoporose, sendo que 200 mil pessoas morrem todos os anos no país em decorrência dessas fraturas. Amanhã é o Dia Mundial da Osteoporose e os médicos alertam para os cuidados com prevenção e diagnóstico precoce. Entre os fatores de risco relacionados à doença estão: idade avançada, baixo peso, etnia caucasiana, histórico de doença na família, deficiência hormonal, dieta pobre em cálcio, uso de determinadas medicações como corticoides, hábito de fumar, abuso de álcool e vida sedentária. Nas mulheres os números da doença são alarmantes: 40% das pacientes com osteoporose sofrem quedas. A coluna, o fêmur, as costelas e o pulso são os locais mais atingidos, sendo que as quedas podem acontecer pela sensação de fraqueza nos ossos, uma das principais características da doença, explica o ortopedista Adalto Lima, chefe do setor de ortopedia do Hospital Badim, no Rio. Mas esse risco pode ser amenizado com a adoção de uma dieta adequada, rica em cálcio e vitamina D, e prática de atividades físicas, hábitos que fortalecem a musculatura, proporcionando uma maior segurança e equilíbrio – ensina o médico, professor de Ortopedia da Fundação Getúlio Vargas e de ortopedia da Faculdade de Medicina da Uerj. O problema é que os brasileiros não dão muita importância à osteoporose. Estudo feito pela Brazos (The Brazilian Osteoporosis Study) avaliou 2.420 pessoas acima de 40 anos, em 150 municípios das cinco regiões do país: apenas 6% dos entrevistados sabiam que sofriam da doença. Isso significa que a maioria ainda não sabe como se prevenir, desconhece diagnóstico e tratamento da osteoporose.
A osteoporose é silenciosa. Por isso, principalmente mulheres acima de 40 anos e idosos, devem redobrar a atenção. É importante que a pessoa faça exercícios regulares, mantenha uma dieta rica em cálcio e vitamina D e se exponha ao sol, nos horários recomendados, para evitar a osteoporose – reforça o médico Everaldo Vasconcelos, chefe da ortopedia do Hospital Balbino. Os médicos explicam que antes de a osteoporose se manifestar geralmente ocorre a osteopenia, o enfraquecimento ósseo; alteração que já aumenta o risco de fraturas. A boa notícia é que nessa fase é mais fácil tratar. O ortopedista Ilídio Pinheiro, do Hospital São Vicente de Paulo, explica que o diagnóstico é feito através de exame clínico e densitometria óssea, que revela o percentual de perda da massa. Até 25% de perda óssea sugere osteopenia. Uma perda maior já sinaliza a osteoporose – diz Ilídio. Nas mulheres a incidência é maior, pois a menopausa caracteriza-se principalmente pela diminuição do estrógeno, um hormônio muito importante no estímulo à formação da massa óssea. Mas a doença também atinge os homens: um em cada oito acima dos 65 anos. Eles começam a perder massa óssea mais tarde e têm ossos e músculos maiores, diz a fisiatra Pérola Plapler, do Hospital do Coração, em São Paulo.
Ela lembra que exercícios são indicados tanto na prevenção quanto no tratamento. Musculação, corrida e caminhada são boas opções. Nos casos em que já existe osteoporose, a pessoa deve ser acompanhada por médico e profissional de educação física. E quanto mais variada a dieta melhor. A nutricionista Camila Ragne Torreglosa, do Hospital do Coração, recomenda consumir alimentos ricos em cálcio, como, por exemplo, leite, iogurte, queijo, sardinha e brócolis. O cálcio é responsável pela formação e manutenção da massa óssea. Além desses, não podem faltar alimentos ricos em vitamina D, como, ovo, salmão, atum e bacalhau, pois esse nutriente é essencial para a absorção do cálcio ingerido. Também o consumo de nutrientes com vitamina K, encontrado em brócolis, lentilha, repolho e couve-manteiga; e o mineral magnésio, presente em acelga, espinafre, quiabo, beterraba e amêndoa são importantes para saúde óssea. A vitamina K participa da formação óssea e o magnésio ajuda na absorção do cálcio da nossa alimentação – comenta Camila.
O Globo (saude@oglobo.com.br)
19/10/2011
http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mulher/mat/2011/10/19/dieta-rica-em-calcio-previne-menopausa-em-mulheres-depois-dos-50-925611077.asp


Veja Também:

Comments (1)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Qualquer pessoa pode tomar isotônicos?

15/10/2011 - 15:06 Por:

Categoria(s): Dicas, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
Utilizado para repor líquidos e eletrólitos depois da atividade física, isotônicos não podem ser utilizados por todas as pessoas.

Isotônicos são bebidas à base de água, sais minerais (sódio, cloro, potássio) e carboidratos, ideais para reposição de líquidos e eletrólitos perdidos através do suor durante atividade física. São chamados isotônicos por possuírem formulação semelhante ao plasma, o que facilita a absorção.
As pessoas andam usando isotônicos de forma exagerada, inclusive crianças. O aumento de 60% nos últimos cinco anos no consumo de bebidas isotônicas fez com que a Anvisa mudasse a classificação de “alimento para praticantes de atividade física” para “alimento para atletas”. Segundo a Anvisa, as bebidas isotônicas são alimentos para fins especiais classificadas como suplemento hidroelétrolitico para atletas, destinados a auxiliar a hidratação, com osmolalidade entre 270 a 330 mOsm/kg água no produto pronto para o consumo.
Quando se fala em consumir isotônicos, um dos alertas é para pessoas com hipertensão. Essas bebidas são ricas em sódio, e os hipertensos precisam controlar o consumo. O consumo também não é indicado para quem tem diabetes (por conter sacarose), tem doenças renais (a menos que tenham indicação médica) e para gestantes, exceto quando há supervisão.
Os isotônicos são recomendados após o exercício físico que durem mais de uma hora e que provoquem transpiração. Também são indicados para quem pratica exercícios físicos aeróbicos prolongados, como triatletas e maratonistas, e para amadores que praticam atividades aeróbicas como corrida e futebol.
Fonte: Bonde.com.br
* Educadora física, colaboradora semanal com artigos na área, parceira da GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Homens, atenção!

22/09/2011 - 14:52 Por:

Categoria(s): Dicas, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
Só depois que alguma doença aparece é que os homens começam a se preocupar com o que comem…
Sedentarismo e obesidade ainda são problemas extremamente comuns aos homens aqui no Brasil. Segundo dados do IBGE, cerca de 41% da população masculina brasileira está acima do peso.
A maioria dos homens alega o corre-corre do trabalho, que os obriga a comer sempre fora de casa, em restaurantes, onde os cardápios nem sempre são balanceados.
Mas não há outro jeito para mudar isso, a não ser modificar os hábitos alimentares. Optar por alimentos menos gordurosos, mais saudáveis, procurar encontrar um ritmo de vida mais calmo…
Tudo isso é importante para que as doenças não tomem conta do organismo.
Fonte: Equipe Bem Star
* Educadora física, colaboradora semanal com artigos na área, parceira da GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Calorias negativas

17/09/2011 - 17:54 Por:

Categoria(s): Qualidade de Vida

A internet é também um mar virtual de mentiras e meias verdades. Um conceito novo fácil de encontrar em sites que tratam de alimentação e saúde é a caloria negativa. O significado do termo varia de acordo com o gosto do freguês. Já o vi em blogs de adolescentes significando deficit calórico tipo assim: Andamos muito, precisamos repor as calorias negativas. Já em outro site as fibras presentes nos alimentos vegetais têm sido usadas para classificar esses alimentos como portadores de calorias negativas – estas seriam as calorias deslocadas dos alimentos pelas fibras. Em outro site pessoal o aipo é apontado como alimento de calorias negativas, porque dá trabalho para digerir e você perde mais calorias na digestão que as calorias que ele contém.
Agora vamos à verdade dos fatos. Todo alimento é positivamente calórico, não há alimentos com calorias negativas. Uns são mais calóricos que outros, mas todos contêm calorias. É certo que mais fibras significam menos calorias, porque as fibras não são digeríveis pelo organismo humano.
Calorias negativas são, isto sim, as calorias adicionadas pelo açúcar. Já estamos acostumados com o conceito de calorias vazias, nuas ou frias devido ao fato de todos os alimentos englobarem nutrientes e calorias e o açúcar aparecer como um corpo estranho dotado de calorias e despido de nutrientes. A ADA, American Diabetes Association, chama os carboidratos naturais de carboidratos nutritivos, e o açúcar só pode ser carboidrato não nutritivo. Talvez venha daí o conceito de calorias negativas – as calorias do açúcar responsáveis pela formação de gorduras brancas não vascularizadas.
A médica Ana Lídia Carvalho, do Instituto de Medicina Natural da Amazônia, afirma que as gorduras sem vascularização, produzidas por calorias negativas, são as que endurecem as paredes dos vasos sanguíneos, dificultando a passagem normal do sangue, obstruindo as artérias e causando infartos.
Gordura marrom é gordura humana saudável vascularizada e termôgenica, encontrada em bebês alimentados pelo leite materno. Encontra-se também em esquimós legítimos, aqueles que comem peixe cru.
Os médicos da indústria da doença andam tentando vender a ideia de que gordura marrom é coisa de criança e não de adulto; que esquimó a tem por causa do frio; e que nos climas quentes ela não existe. Ledo engano: os gordinhos da tropical ilha de Tonga são saudáveis portadores de gordura marrom.
A doutora Ana Lídia está pesquisando há 16 anos uma enzima chamada leptina que transforma gordura branca em gordura marrom. O conceito do Açúcar zero é mais simples: recomenda apenas que as pessoas parem de comer açúcar, o causador de gordura branca e da obesidade mórbida. Assim elimina-se o mal pela raiz.

Retirado de “O livro negro do açúcar”, de Fernando Carvalho. Rio de Janeiro, 2006. P. 43.
http://www.uefs.br/docentes/jmarcia/2007/O_livro_negro_do_acucar1.pdf


Veja Também:

Comments (1)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Deu “branco”? Você esta começando a ter lapsos de memória?

16/09/2011 - 14:52 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Gerontologia, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
Esquece os compromissos ou as palavras no meio de uma reunião de trabalho?Calma…a pílula da memória pode estar chegando.
Pelo menos é o que noticiou a imprensa britânica. Pesquisadores que tentam encontrar novas formas para o mal de Alzheimer, já estariam perto de lançar um medicamento para ajudar a recuperar a memória.
Os primeiros testes estariam sendo feitos com pacientes mais idosos que sofreram perda da memória por causa de doenças degenerativas e já estão apresentando bons resultados.
Segundo os especialistas é preciso ter um certo cuidado, pois as doses aplicadas aos enfermos são mais pesadas.
Isso porque uma chamada pílula da memória para quem tem boa saúde, deveria conter uma dose mais amena dos princípios ativos do medicamento, segundo os cientistas
Fonte: Site BemStar
* Educadora física, colaboradora semanal com artigos na área, parceira da GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Yoga: por uma boa noite de sono

13/09/2011 - 15:35 Por:

Categoria(s): Dicas, Qualidade de Vida

A insônia é caracterizada pela dificuldade em iniciar o sono ou manter-se dormindo ao longo da noite, comprometendo as habilidades mentais, intelectuais e físicas das pessoas que sofrem desta condição. A quantidade de horas de sono restaurador varia muito de indivíduo para indivíduo, portanto, a insônia não é caracterizada pelo número de horas que o indivíduo dorme, mas pela qualidade de seu sono e bem estar geral ao acordar e ao longo do dia.
Alguns sinais significativos da falta de sono restaurador são cansaço, falta de vitalidade, dificuldade de concentração e irritabilidade. Diversos são os fatores que podem desencadear episódios de insônia – problemas pessoais, disfunções orgânicas (desequilíbrio químico de neurotransmissores) ingestão de bebidas estimulantes, alimentação inadequada, descontrole emocional, exercícios físicos extenuantes e outras atividades que provoquem agitação física e mental.
É muito importante adquirir hábitos saudáveis para construir uma boa noite de sono, como:
– Manter um ambiente calmo e agradável antes de dormir;
РAlimentar-se com refei̵̤es leves e balanceadas algumas horas antes de deitar-se;
– Evitar café e chás estimulantes à noite;
– Procurar atividades tranqüilas que promovam o relaxamento e a quietude.
O Yoga, com a prática de posturas, exercícios respiratórios, a meditação e o relaxamento, traz mais saúde para o sistema nervoso, pois há redução e/ou eliminação da tensão e ansiedade, os músculos repousam, a mente se cala, induzindo ao sono restaurador mais facilmente. Além disso, o praticante desenvolve a consciência dos seus pensamentos e emoções e aprende a gerenciá-los. Com isso, fica fácil para ele retirar a atenção dos pensamentos inquietantes de sua mente e mergulhar em poucos minutos num sono profundo e reparador.
Contribuição recebida de Instituto Isvara de Yoga, Campinas, SP.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Mulheres otimistas teriam menos chances de apresentar variações da pressão arterial

13/09/2011 - 12:03 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*
Qual é a relação entre mulheres pessimistas com a pressão e colesterol altos? De acordo com a revista americana científica Circulation, um estudo feito pela University of Pittsburgh com cem mil mulheres concluiu que as mal humoradas tendem a apresentar alterações nesses índices.
Comparando a grupos de mulheres com pressão alta e altos índices de colesterol a diferença de atitude alterou significativamente os riscos entre otimistas e não otimistas. Mulheres de bem com a vida tiveram 9% menos chances de desenvolver problemas cardíacos e 14% menos chances de morrer por qualquer causa após oito anos de acompanhamento. Em comparação, mulheres que cultivam sentimentos hostis ou são desconfiadas apresentaram 16% mais probabilidade de morrer dentro do mesmo período.
Uma possível explicação, segundo os pesquisadores, é que as otimistas talvez sejam mais capazes de enfrentar adversidades e talvez sejam mais habilidosas ao cuidar de si próprias quando ficam doentes. O estudo concluiu que mulheres otimistas fazem mais exercícios e são mais magras do que as pessimistas.
Fonte: Site BemStar
* Educadora física, colaboradora semanal com artigos na área, parceira da GeroVida


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Yoga e Ansiedade

8/09/2011 - 17:40 Por:

Categoria(s): Qualidade de Vida

O comportamento ansioso deriva de fatores físicos, psicológicos e emocionais e está presente em diversas situações do cotidiano, resultado das experiências de vida de cada um de nós. Por vezes, a ansiedade é um componente útil e importante na tomada de decisões, alavancando projetos pessoais e profissionais, tirando-nos da zona de conforto e tornando-se uma fonte estimuladora de nossas potencialidades.
A ansiedade pode ser considerada um distúrbio quando a intensidade das emoções e reações são muito maiores do que a importância real do evento ou até mesmo quando não existe um motivo para desencadear o comportamento ansioso. E quanto maior a intensidade deste comportamento, maiores são as probabilidades de surgimento de problemas físicos e outros distúrbios psíquicos mais acentuados.
O indivíduo ansioso é hipervigilante com problemas externos, desviando-se constantemente da auto-observação. A prática de Yoga, como ensinada no Instituto Ísvara, traz o aumento da capacidade de estarmos atentos aos sentimentos e sensações, livrando-nos das batalhas contra pensamentos e flutuações mentais. Auxilia-nos a identificar a origem do objeto de preocupação e oferece um direcionamento positivo e assertivo para conquistarmos mais saúde emocional e momentos de serenidade.
Por Letícia Cavichioli


Veja Também:

Comments (2)     Indique esse artigo Indique esse artigo