Arquivo de Reflexão

A arte da sorte

18/12/2008 - 8:05 Por:

Categoria(s): Reflexão

prudencia

A boa sorte tem suas regras.

Nem tudo é acaso para o sábio; o esforço pode ajudar a sorte.

Alguns se contentam em colocar-se com toda confiança às portas da sorte e esperar que ela faça algo.

Outros, com mais tino, entram por essas portas e fazem uso de uma razoável audácia que, junto com sua virtude e coragem, pode atingir a boa sorte e obter seus benefícios.

Não há, porém, outro caminho a não ser o da virtude e da prudência, porque não há boa ou má sorte, mas apenas prudência ou imprudência.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

O homem em seu tempo

13/12/2008 - 15:50 Por:

Categoria(s): Reflexão

tempo

Os homens extraordinários dependem da época em que vivem para se destacar.

Nem todos tiveram a época que mereciam e muitos que tiveram não conseguiram desfrutá-la.

Alguns foram dignos de dias melhores, mas nem tudo o que é bom triunfa sempre.

As coisas têm seu tempo, inclusive as pessoas eminentes dependem do gosto da época.

A sabedoria, porém, leva vantagem: é eterna.

Se este não é seu tempo, muitos outros o serão.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Não começar com muita expectativa

6/11/2008 - 8:00 Por:

Categoria(s): Reflexão

expectativa

É comum ver que tudo aquilo que recebe muitos elogios antes de acontecer não alcançará depois o sucesso esperado.

O real nunca pode alcançar o imaginado, porque imaginar a perfeição é fácil, mas atingi-la é muito difícil.

O casamento da imaginação com o desejo sempre concebe as coisas muito melhores do que elas são.

A excelência – por maior que seja – não é suficiente para satisfazer a idéia inicial.

Por isso, ao criar uma expectativa exorbitante, causa-se mais decepção que admiração.

A esperança é uma grande falsificadora da verdade.

A sensatez deve refreá-la, procurando que o gozo do real supere o desejo do imaginário.

Os inícios honrados servem para despertar a curiosidade e não para comprometer a tentativa final.

O resultado é melhor quando a realidade supera o que se pensou.

Esta regra não vale para coisas ruins.

Quando se exagera um mal e a realidade desmente a imaginação, o que a princípio parecia muito ruim chega a ser tolerável.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

O esforço e a capacidade

3/11/2008 - 19:23 Por:

Categoria(s): Reflexão

esforco

Não há excelência sem ambos, e se estão juntos o resultado é ainda melhor.

A mediocridade com esforço consegue mais que a superioridade sem ele.

A reputação se compra com trabalho: pouco vale o que pouco custa.

O esforço quase sempre depende do temperamento.

Pode-se entender alguém que prefira ser medíocre numa função mais alta a se destacar em uma ocupação humilde.

Mas não há desculpa para quem se contenta em ser mediano num cargo inferior, podendo ser excelente no mais alto.

Necessita-se, portanto, de natureza e arte, junto com aplicação.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Variar o modo de agir

28/10/2008 - 8:23 Por:

Categoria(s): Reflexão

xadrez

Assim se confunde os outros, especialmente os competidores.

Não se deve agir sempre igual, pois a rotina se tornará uma armadilha e as ações serão antecipadas e frustradas.

É mais fácil matar a ave que tem um vôo uniforme que aquela que troca sua trajetória.

Também não se deve usar os mesmos truques, pois a armadilha será descoberta quando repetida.

A malícia espreita a ocasião, é preciso grande sutileza para despistá-la.

O jogador astuto nunca move a peça que seu oponente espera, e menos ainda a que ele deseja.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

A sabedoria e a honestidade

16/10/2008 - 8:10 Por:

Categoria(s): Reflexão

Conhecimento

São a fonte do sucesso abundante.

Um bom entendimento casado com má intenção sempre foi uma monstruosa violação.

A intenção maligna é o veneno da perfeição e, apoiada pelo saber, corrompe com mais sutileza.

Desafortunada a eminência que trabalha na maldade!

Conhecimento sem bom senso é uma dupla loucura.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Cercar-se de pessoas inteligentes

10/10/2008 - 19:28 Por:

Categoria(s): Reflexão

flores

Os poderosos têm muita sorte em ter ao seu lado homens de grande inteligência, capacitados para resolver os problemas causados pela ignorância e que lutam por eles nas situações mais difíceis.

Servir-se de sábios é uma grandeza especial.

Supera o gosto bárbaro de Tigrano*, que fazia dos reis vencidos seus serviçais.

É muito melhor outro tipo de domínio: transformar, por uma arte especial, aqueles que a natureza dotou de inteligências superior em nossos servidores.

Há muito o que conhecer, a vida é curta e não se vive se não se sabe.

É, portanto, uma habilidade especial aprender sem esforço, aprender muito de muitos, sabendo tanto como todos.

Se você conseguir isso, será capaz de falar tantos sábios quantos foram os que o prepararam.

Conseguirá assim, com suor alheio, fama de oráculo.

Aqueles que não puderem ter a sabedoria como serva devem tê-la ao menos como companheira.

*Rei da Armênia (século I a.C.) que maltratava os príncipes vencidos, depois de ter sido humilde refém em Roma.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Agir com intenção: primeira e segunda intenções

4/10/2008 - 19:37 Por:

Categoria(s): Reflexão

intenções

A vida humana é uma luta contra a malícia do próprio homem: a sagacidade luta com estratagemas de má intenção.

Nunca faz o que indica: despista, insinua-se com destreza e dissimulação e atua de maneira inesperada, sempre atenta para confundir.

Mostra uma intenção para tranquilizar e muda imediatamente de posição, vencendo pela surpresa.

Mas a inteligência perspicaz se previne com a observação cuidadosa, se protege com cautela, entende sempre o contrário do que quer que se entenda e descobre instantaneamente qualquer jogo duplo.

Deixa passar toda primeira intenção e fica à espera da segunda, e ainda da terceira.

Quando a artimanha é descoberta, a simulação aumenta mais ainda e tenta enganar com a própria verdade.

Muda de jogo para mudar a armadilha e transforma a verdade sincera em erro, baseando sua astúcia na inocência.

Mas a advertência decifra a real intenção e descobre as trevas revestidas de luz.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Natureza e arte, matéria e elaboração

20/09/2008 - 10:07 Por:

Categoria(s): Reflexão

naturezaarte

Não há beleza sem ajuda, nem perfeição que não pareça bárbara sem a arte: ela corrige o que é ruim e aperfeiçoa o que é bom.

Sem a cultura, não existiria metade das perfeições. Todo homem parece tosco sem a arte.

É necessário educar-se para alcançar a perfeição.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comments (2)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Relacione-se com quem tenha o que lhe ensinar

6/09/2008 - 10:12 Por:

Categoria(s): Reflexão

amigos

O trato amigável deve ser uma escola de erudição, e a conversa um ensinamento culto.

Deve-se fazer com que seus amigos sejam também seus mestres, combinando o útil da aprendizagem com o gostoso da conversa.

Deve-se alternar o prazer com a instrução.

Os aplausos gratificam aqueles que falam e os que ouvem são recompensados com o ensinamento.

Normalmente a própria conveniência nos leva a conversar com outras pessoas – e assim enobrecemos.

O homem prudente frequenta as casas dos homens eminentes, pois mais que palácios da vaidade são cenários de grandeza.

Existem senhores com reputação de prudentes que são oráculos de grandeza por seu exemplo e modo de agir. Além disso, o grupo de seus acompanhantes é uma refinada academia de sensatez, tato e engenho.

Do livro A Arte da Prudência, de Baltasar Gracián, 2003.


Veja Também:

Comments (2)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Página 30 de 32« Primeira página...1020...2829303132