Arquivo de Terapias Complementares

Argila Terapêutica e cura de resfriado

19/04/2008 - 14:48 Por:

Categoria(s): Dicas, Doenças e problemas de saúde, Terapias Complementares

Numa noite de maio de 2007 comecei a ter sintomas de que ficaria resfriada, porém não dei muita atenção para isto e fui dormir. No outro dia, acordei indisposta, com dor de cabeça, mal-estar, com o nariz escorrendo e a garganta arranhando. Como tinha acordado uma hora antes do previsto, resolvi usar este tempo para me cuidar. Fiz uma aplicação de argila no abdômen, outra na garganta e outra na testa, nesta última coloquei uma gota de essência de menta no preparo da compressa. Com estas três aplicações no corpo fui para cama e dormi por uma hora. Acordei e fui tomar banho. Enquanto trabalhava em casa, fiz uso dos bastonetes de argila no nariz: peguei a ponta de um cotonete, na parte do algodão coloquei pasta de argila e apliquei dentro de uma narina, fiquei por vinte minutos e depois troquei de narina, repetindo o procedimento com o outro lado do cotonete. Para ele não cair, grudei uma fita crepe no corpo do cotonete ao meu rosto.

Ao final deste tratamento intensivo senti como se tivesse acontecido um milagre, pois tudo que eu estava sentindo antes sumiu ou melhorou consideravelmente. Não me sentia mais indisposta, a dor de cabeça foi embora, o nariz parou de escorrer e a garganta não estava mais arranhando.

Meu dia seguiu muito melhor, pois estava me sentindo outra mulher, graças a todos os benefícios que o tratamento de argila trouxe ao meu corpo e ao meu organismo.

Relato de Wanda Patrocinio

Caro leitor, nosso blog se preocupa com a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Desenvolvemos um trabalho na área de terapias complementares, porém gostaríamos de salientar que qualquer tratamento aqui sugerido não dispensa uma orientação médica ou qualquer orientação na área que você esteja precisando. Isto significa que os tratamentos com argila terapêutica e outros devem complementar o tratamento já realizado, mantendo sempre o acompanhamento médico.
Atenciosamente,
Equipe GeroVida.

OBS. 1: Não realizamos orientações de tratamentos à distância. O ideal é procurar um terapeuta pessoalmente para receber as informações para o seu caso e depois será possível dar seguimento ao tratamento em sua residência.

OBS. 2: Damos cursos à distância sobre terapias complementares e gerontologia. Os interessados deverão acessar o link: http://www.gerovida.com.br/gerontologia/cursos-distancia.html


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Argila Terap̻utica РUso Interno

12/04/2008 - 12:51 Por:

Categoria(s): Doenças e problemas de saúde, Qualidade de Vida, Terapias Complementares

A ação da argila costuma ser direta e imediata. Ela elimina as substâncias nocivas, as células destruídas e ativa a reconstituição celular, favorecendo a cura. Ela contém muitos minerais, como o ferro, magnésio, cal, alumínio, cálcio, sódio, potássio, sílica e titânio, de acordo com uma análise feita no Centro Nacional de Investigação Cientifica, situado na França.

Sua ingestão é muito eficaz nos problemas digestivos, como: úlcera, gastrites, fermentações, intoxicações alimentares, envenenamentos, diarréias, deficiência de absorção de alimentos, catarros intestinais, diverticuloses, gases, hemorróidas, verminoses, dispepsias crônicas (dificuldades na digestão), problemas de garganta, espinhas na pele. A argila tanto pode evitar uma furunculose, como acabar com uma anemia.

Para limpeza e tonificação do tubo digestivo, a argila pode ser usada por uma semana, três vezes ao dia, meia hora antes das refeições, sendo indicado também, neste tratamento, um chá digestivo como camomila, anis, hortelã, alecrim, erva-doce, banchá, etc.

Nas intoxicações e diarréias, ingere-se a mesma dose (1 colher de café do pó de argila em 3 dedos ou 1 copo de água mineral ou filtrada) de 2 em 2 horas, juntamente com um chá de sene ou cáscara sagrada.

Em certas afecções intestinais a dose pode ser elevada para 3 a 4 colheres de café por dia. Em qualquer desses casos deve-se ingerir bastante água ou sucos naturais e diminuir o consumo de óleo comestível, pois o óleo endurece a argila.

(texto adaptado de Argila via Oral, do livro “Argila – um santo remédio e outros tratamentos compatíveis” por Iracela Cassimiro Peretto)

A partir das informações acima, podemos avaliar o quanto a argila pode ser preventiva e curativa, no caso das ondas de viroses, gripes e resfriados fortes, intoxicações alimentares e doenças intestinais causadas por parasitas. Sendo assim, podemos utilizá-la para purificar nosso organismo e fortalecer mais e mais nossa saúde.

Abraços, Mathilde e Wanda.

Caro leitor, nosso blog se preocupa com a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Desenvolvemos um trabalho na área de terapias complementares, porém gostaríamos de salientar que qualquer tratamento aqui sugerido não dispensa uma orientação médica ou qualquer orientação na área que você esteja precisando. Isto significa que os tratamentos com argila terapêutica e outros devem complementar o tratamento já realizado, mantendo sempre o acompanhamento médico.
Atenciosamente,
Equipe GeroVida.

OBS. 1: Não realizamos orientações de tratamentos à distância. O ideal é procurar um terapeuta pessoalmente para receber as informações para o seu caso e depois será possível dar seguimento ao tratamento em sua residência.

OBS. 2: Damos cursos à distância sobre terapias complementares e gerontologia. Os interessados deverão acessar o link: http://www.gerovida.com.br/gerontologia/cursos-distancia.html


Veja Também:

Comments (24)     Indique esse artigo Indique esse artigo

Dengue… como eu me curei dela!

5/04/2008 - 17:13 Por:

Categoria(s): Curiosidades, Qualidade de Vida, Terapias Complementares

No dia 19 de abril de 2007 eu acordei com dores terríveis no corpo, como se tivesse levado uma surra, estava com febre e muito mal estar, muita dor nas pálpebras, todos sintomas de dengue, mas não queria admitir que estava com esta doença. Como tinha que dar uma aula e depois uma palestra no Sesc, levei argila terapêutica para o trabalho, para fazer uso interno. Tomei água argilosa (uma colher de café do pó da argila em três dedos de água) assim que cheguei ao Teatro de Tábuas (ONG em que eu trabalhava na época) e depois, tomei de novo, após a aula do projeto, por volta de 11:30h. Com isto, consegui reunir forças para dar a palestra no Sesc, mesmo com muita febre, tremendo de frio. Sai de lá e fui para uma consulta de floral com a Mariângela (terapeuta floral e professora de eutonia), mal conseguia manter meus olhos abertos. Passei pela consulta e ela me receitou florais que pudessem auxiliar no meu restabelecimento. Ali mesmo já tomei cinco gotas. Ao chegar em casa, comi metade de um mamão, preparei uma pasta de argila, apliquei no abdômen, tomei mais cinco gotas de floral e fui dormir.

No dia seguinte seria inauguração da sede do Teatro de Tábuas e eu tinha que estar presente. As dores continuavam, mas com menos intensidade, continuava com febre e ainda dor nas pálpebras. A dor no corpo diminuiu consideravelmente. Continuei fazendo uso interno da argila durante umas duas vezes ao longo do dia. Quando cheguei em casa, não consegui comer, pois estava muito enjoada, então, tomei água argilosa, fiz uma aplicação de argila no abdômen e fui dormir. No sábado, passei o dia de cama, comendo bem pouco por causa do enjôo e aplicando argila no abdômen de tempos em tempos. De noite, a febre chegou ao seu limite, tive queda de pressão, perda do equilíbrio e dos sentidos, quedas e convulsão. Após esta crise, o Martim (meu marido) me deu um banho e fomos dormir. De madrugada acordei com fome, mas não consegui comer, consegui me alimentar a base de soro caseiro. No domingo e dias seguintes, continuei com as aplicações de argila no abdômen e tomando soro. A febre cedeu por inteiro na segunda-feira de noite, o enjôo foi diminuindo, mas ainda me sentia fraca e sem energia. Na terça, já consegui voltar a me alimentar e a caminhar e tiveram início as coceiras no corpo. Na quarta já voltei a trabalhar e as coceiras continuaram por mais dois dias, para amenizá-las, lavei os locais ora com água argilosa, ora com água de vinagre de maçã (uma colher de sopa de vinagre de maçã para 500ml de água).

De todos os casos de dengue do Teatro de Tábuas (no total cinco funcionários), o meu foi o último e mais grave, em que tive todos os sintomas desta doença. Por outro lado, a cura se deu mais rápido, acredito que pelo tratamento realizado, em que aliei o uso poderoso da argila terapêutica, o descanso do corpo e técnicas naturais, além de muita espiritualidade.

Relato real de Wanda Patrocinio

Caro leitor, nosso blog se preocupa com a saúde e o bem estar de todas as pessoas. Desenvolvemos um trabalho na área de terapias complementares, porém gostaríamos de salientar que qualquer tratamento aqui sugerido não dispensa uma orientação médica ou qualquer orientação na área que você esteja precisando. Isto significa que os tratamentos com argila terapêutica e outros devem complementar o tratamento já realizado, mantendo sempre o acompanhamento médico.
Atenciosamente,
Equipe GeroVida.

OBS. 1: Não realizamos orientações de tratamentos à distância. O ideal é procurar um terapeuta pessoalmente para receber as informações para o seu caso e depois será possível dar seguimento ao tratamento em sua residência.

OBS. 2: Damos cursos à distância sobre terapias complementares e gerontologia. Os interessados deverão acessar o link: http://www.gerovida.com.br/gerontologia/cursos-distancia.html


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

A arte de se cuidar

25/03/2008 - 12:55 Por:

Categoria(s): Qualidade de Vida, Sugestão de leituras, Terapias Complementares

Sugestão de leitura 10

O livro “A arte de se cuidar”, do médico João Curvo, traz o resgate de nossa percepção curativa por meio de práticas simples como alimentar-se e exercitar-se devidamente. Trata-se de conhecer o próprio organismo e sentir o que lhe faz bem ou não. Editora Rocco, Rio de Janeiro, 1999, 4ª edição.


Veja Também:

Comments (2)     Indique esse artigo Indique esse artigo

DO-IN: livro dos primeiros socorros

5/02/2008 - 5:01 Por:

Categoria(s): Sugestão de leituras, Terapias Complementares

Semanalmente, disponibilizaremos sugestões de leituras para aquelas pessoas que queiram se aprofundar nas áreas relativas ao blog GeroVida: arte, educação, gerontologia, qualidade de vida e terapias alternativas.

Sugestão de Leitura 3

3) Para quem quiser aprender técnicas básicas de auto-cuidado, sugerimos o estudo do livro “Do-In: livro dos primeiros socorros”, de Juracy Cançado, Editora Ground, São Paulo, 1993, 29ª edição.


Veja Também:

Comentários     Indique esse artigo Indique esse artigo

Página 37 de 37« Primeira página...102030...3334353637