Curso de Extens√£o

27/03/2018 - 10:07 Por:

Categoria(s): Educação, Gerontologia, Qualidade de Vida, Terapias Complementares

Tags: , , , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Reflex√£o GeroVida

22/03/2018 - 18:33 Por:

Categoria(s): Dicas, Qualidade de Vida, Reflex√£o

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Reflex√£o GeroVida

15/03/2018 - 10:19 Por:

Categoria(s): Dicas, Gerontologia, Reflex√£o

Muitos adultos e idosos n√£o gostam de falar sobre o tema Envelhecimento.

De onde vem est√° repulsa? At√© pouco tempo atr√°s a velhice era sin√īnimo de doen√ßa, de s√≥ ter aspectos negativos nesta fase da vida. Por√©m, este mito caiu por terra… os estudos e a realidade mostram que podemos viver uma velhice saud√°vel, de muito vai depender como cada pessoa viveu a pr√≥pria vida e dos aspectos de sa√ļde, psicol√≥gicos e sociais que permearam sua caminhada.

Da√≠ a import√Ęncia de se desmistificar o termo envelhecimento. Temos uma teoria na Gerontologia chamada de Curso de Vida e nela compreendemos o envelhecimento caminhando junto com o desenvolvimento ao longo da vida.

Para termos um envelhecimento saud√°vel precisamos cuidar da vida que levamos independente da idade que temos.

Pense nisto!

Conheça o Facebook da GeroVida em https://www.facebook.com/GeroVida

Curta, compartilhe, comente!

 

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Soneto da Felicidade

7/02/2018 - 13:00 Por:

Categoria(s): Arte, Poesia, Reflex√£o

 

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, ang√ļstia de quem vive
Quem sabe a solid√£o, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Autor: Vinicius de Moraes

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Qualidade de Vida РExercício aeróbico

1/02/2018 - 9:51 Por:

Categoria(s): Dicas, Gerontologia, Qualidade de Vida

Estudo tenta mostrar como o exerc√≠cio aer√≥bico ajuda a ‚Äúlimpar a mente‚ÄĚ

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*

Uma boa corrida pode fazer voc√™ se sentir como uma pessoa totalmente nova. E, de certa forma, esse sentimento pode ser, literalmente, verdade. Pesquisas em neuroci√™ncia identificaram uma liga√ß√£o forte entre o exerc√≠cio aer√≥bico e a clareza cognitiva. Ou seja, a atividade f√≠sica nos ajuda a ‚Äúlimpar a mente‚ÄĚ. As informa√ß√Ķes s√£o do site ‚ÄúScience Of Us‚ÄĚ.

Recente estudo elaborado pelos pesquisadores da Universidade de Harvard, Emily E. Bernstein e Richard J. McNally, indicou que, após um treinamento, os corredores se sentiam mais vivos, ativos, capazes e tinham melhora da memória. O objetivo era entender o que o exercício físico realmente estava fazendo para ajudar a melhorar os problemas de humor ou ansiedade e também a regular a emoção.

Estudos anteriores apontavam que exerc√≠cios aer√≥bicos desencadeavam o nascimento de novos neur√īnios. Outras mudan√ßas atestavam que 30 a 40 minutos de atividade eram suficientes para aumentar o fluxo sangu√≠neo de uma √°rea do c√©rebro localizada atr√°s da nossa testa e que est√° associada a alguns atributos como a concentra√ß√£o, a gest√£o, o foco e o planejamento futuro.

Seguindo o papel do exerc√≠cio nessa parte do c√©rebro, os cientistas montaram um experimento cl√°ssico entre os estudos da emo√ß√£o com 80 pessoas. Todas foram convidadas a ver a cena final do filme ‚ÄúThe Champ‚ÄĚ (1979), que √© carregado de emo√ß√£o. Mas antes, metade da turma teve de correr por cerca de 30 minutos. Enquanto isso, os outros participantes apenas ficaram √† espera.

Depois que as pessoas entrevistadas assistiram ao filme, os cientistas conclu√≠ram que aqueles que correram mostraram-se emocionalmente mais fortes e n√£o cederam com tanta facilidade √†s imagens marcantes do filme. Isso evidenciou que os problemas que eles tinham ficaram menos presentes na mente depois de terem se exercitado. As emo√ß√Ķes estavam mais equilibradas.

Fonte: Matéria publicada no site do Globo Esporte.

* Educadora física, parceira da GeroVida no envio de artigos para o blog.

Conheça o Facebook da GeroVida em https://www.facebook.com/GeroVida

Curta, compartilhe, comente!

 

Tags: , , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Reflex√£o GeroVida

23/01/2018 - 9:02 Por:

Categoria(s): Curiosidades, Dicas, Educação, Gerontologia, Qualidade de Vida, Reflexão

Ol√° Pessoal!
 
Infelizmente muitos ainda acreditam que quando passamos de uma determinada idade √© normal sentirmos dores e que, principalmente, ser velho √© sin√īnimo de sentir dor. Com o intuito de desmistificar essa cren√ßa, sugerimos a leitura e reflex√£o desse breve texto que incentiva a promo√ß√£o da sa√ļde ao longo da vida.
https://www.facebook.com/GeroTempo/photos/a.1515543348739056.1073741828.1515531625406895/1520396058253785/?type=3&theater
Pense nisto!
Curta! Compartilhe! Comente!

Tags: , , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Galileu Galilei

28/12/2017 - 11:02 Por:

Categoria(s): Arte, Curiosidades, Dicas, Reflex√£o

Perguntaram, certa vez, ao velho Galileu Galilei (1564-1642), importantíssimo homem de ciências italiano:

‚ÄúQuantos anos voc√™ tem?‚ÄĚ
Ele respondeu: ‚ÄúOito ou talvez dez‚ÄĚ, em evidente contradi√ß√£o com a barba branca que trazia no rosto. Logo em seguida, ele explicou sua resposta:
‚Äď Tenho, na verdade, apenas os anos que me restam de vida, porque os j√° vividos n√£o os tenho mais, do mesmo modo que tamb√©m n√£o tenho as moedas que j√° gastei.
Devemos, como Galileu, valorizar o tempo que nos resta e n√£o ficarmos lamentando o tempo que j√° passou.
E, se formos inteligentes, ‚Äúo tempo que nos resta‚ÄĚ pode ser, ainda, muito bem aproveitado.
Pense nisto e seja feliz!

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Idosos saud√°veis resistem mais ao calor

26/12/2017 - 12:41 Por:

Categoria(s): Dicas, Educação, Gerontologia, Qualidade de Vida

Os idosos s√£o mais vulner√°veis aos sucessivos recordes de temperatura registrados em diferentes partes do mundo nos √ļltimos anos, que induzem, por exemplo, a altera√ß√Ķes no mecanismo de controle da temperatura corp√≥rea, conforme apontam especialistas da √°rea de geriatria. Um estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina e do Instituto de Astronomia, Geof√≠sica e Ci√™ncias Atmosf√©ricas (IAG), da Universidade de S√£o Paulo (USP), constatou, contudo, que idosos saud√°veis s√£o capazes de tolerar um calor de 32¬ļC, por exemplo ‚Äď temperatura que representa um dia quente de ver√£o em S√£o Paulo ‚Äď, mantendo um bom desempenho cognitivo. Resultado de um projeto realizado no √Ęmbito do Instituto Nacional de An√°lise Integrada de Risco Ambiental ‚Äď um dos INCTs apoiados pela FAPESP e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Cient√≠fico e Tecnol√≥gico (CNPq) no Estado de S√£o Paulo ‚Äď, o estudo foi descrito em um artigo publicado na revista Age, da Associa√ß√£o Americana de Envelhecimento. ‚ÄúObservamos que o desempenho cognitivo de idosos com boa funcionalidade n√£o sofreu efeitos nocivos da exposi√ß√£o ao calor‚ÄĚ, disse Beatriz Maria Trezza, geriatra do Hospital das Cl√≠nicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP e primeira autora do estudo, √† Ag√™ncia FAPESP.

Os pesquisadores avaliaram os efeitos do estresse t√©rmico sobre o desempenho cognitivo de 68 idosos com idade m√©dia de 73,3 anos, com bom desempenho f√≠sico e cognitivo ‚Äď caracterizado pela boa sa√ļde mental e caminhar de modo independente, entre outros aspectos. Os idosos s√£o pacientes do servi√ßo de geriatria do HC-FMUSP ou participantes do programa ‚ÄúUniversidade aberta √† terceira idade‚ÄĚ, da USP. Para realizar o estudo, os pesquisadores fizeram um ensaio cl√≠nico em que submeteram os idosos a uma bateria de cinco testes neuropsicol√≥gicos computadorizados realizados sucessivamente em salas com temperatura controlada de 24¬ļC ‚Äď considerada confort√°vel para atividade leve ‚Äď e de 32 ¬ļC. Selecionados da Bateria Neuropsicol√≥gica Automatizada de Testes de Cambridge (Cantab, em ingl√™s) ‚Äď um software desenvolvido pela Cambridge University, do Reino Unido ‚Äď, os cinco testes avaliaram diferentes aspectos do desempenho cognitivo dos idosos, como mem√≥ria, aten√ß√£o, tempo de rea√ß√£o a um est√≠mulo visual e aprendizado. Os resultados dos testes indicaram que n√£o houve diferen√ßas significativas no desempenho cognitivo dos idosos no ambiente com temperatura de 32¬ļC em compara√ß√£o com o de 24¬ļC.

‚ÄúAs an√°lises dos testes, como um todo, mostraram que o desempenho cognitivo dos idosos foi mantido no ambiente com 32¬ļC‚ÄĚ, afirmou Trezza. ‚ÄúA popula√ß√£o de idosos que avaliamos, entretanto, √© bastante espec√≠fica e talvez por isso seja menos vulner√°vel ao estresse t√©rmico‚ÄĚ, avaliou.

 Estudo pioneiro

De acordo com a pesquisadora, o estudo sobre o efeito do calor no desempenho cognitivo de idosos √© pioneiro. Isso porque j√° t√™m sido realizados estudos nessa linha com militares, trabalhadores expostos a ambientes extremos e jovens. Mas, at√© ent√£o, ainda n√£o tinha sido feito nenhum estudo espec√≠fico com idosos. ‚ÄúParalelamente √†s mudan√ßas clim√°ticas globais, tamb√©m est√° ocorrendo um processo de envelhecimento populacional. Um dos objetivos do estudo foi tentar entender como uma popula√ß√£o que est√° envelhecendo e que sofrer√° mudan√ßas no controle da temperatura corp√≥rea ir√° conviver com um clima que est√° esquentando‚ÄĚ, disse Trezza. ‚ÄúA sensibilidade dos idosos ao calor √© menor e eles t√™m menor percep√ß√£o da varia√ß√£o da temperatura, desencadeando uma resposta comportamental mais tardiamente‚ÄĚ, disse Trezza.

Ao perguntar aos idosos participantes do estudo se estavam confort√°veis ou desconfort√°veis sob a temperatura de 32¬ļC, aproximadamente um ter√ßo respondeu que estava confort√°vel.

Fonte: Matéria publicada no site Exame

Contribuição enviada por Daliane Batista Cardoso*

 

* Educadora física, parceira da GeroVida no envio de artigos.

Conheça o Facebook da GeroVida em https://www.facebook.com/GeroVida

Curta, compartilhe, comente!

 

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Inspire

23/12/2017 - 12:28 Por:

Categoria(s): Dicas, Reflex√£o, Sem categoria

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

Reflex√£o GeroVida

19/12/2017 - 14:31 Por:

Categoria(s): Dicas, Gerontologia, Reflex√£o

Reflex√£o GeroVida
‚ÄúEstou velho, mas continuo jovem‚ÄĚ.
O que você acha desta frase?
Sempre que os idosos nos dizem isto, perguntamos a eles: O que √© continuar jovem? E eles respondem: Ah, √© ter a mente aberta, ter flexibilidade de comportamento, ter um corpo √°gil, etc…
Mas todo jovem possui estas características???
Velhice é diferente de juventude e ser velho é diferente de ser jovem. Negar a idade é, ao mesmo tempo, rejeitar as próprias experiências de vida, o aprendizado, a resiliência, a expertise, a sabedoria adquirida e acumulada durante anos sobre diversos fatos ocorridos.
Lembre-se de que cada etapa apresenta √īnus e bonan√ßa e s√£o as viv√™ncias que o(a) tornam um ser √ļnico.
Pense nisto!
Curta! Compartilhe! Comente!

Tags: , ,


Veja Também:

Coment√°rios     Indique esse artigo Indique esse artigo

P√°gina 1 de 212